sábado, 15 de novembro de 2008

ONDULAÇÃO

*
*
*
*
*
*
Recuerdos
*

( Para la Mujer de los Gatos )
*
*
Enrodilhada
como a cauda
da verdadeira coral
--------------um raio de cisma
--------------brota dos olhos
--------------sem ventar provento
*
- [ cisma de ] um mofo aspergido
--------------por paredões de grotas
--------------& palafitas bambas
, vez que pouco me lembro
da cisma dançante das algas
*
*

Explode a água na noite do basalto
--------------&
os protagonistas de um bestiário torvo
--------------avançam em hordas
como devotos no anoitecer
--------------dos dias santos
*
*

--------------Encharco
*
*

Pairo medonhas feras
d`uma fauna excomungada
--------------que rasgam-me vulvas na derme:
*
--------------as bundas primeiro
*
--------------depois
--------------os olhos ciclópicos
--------------olores
*
--------------córios
--------------âmnios
*
--------------alantóides
--------------e gosma
*
*

Como esquivar
do caruncho do couro
& da broca dos tendões
*
--------------quando a lua vai a pino
*
--------------e uma nítida lembrança
da mujer de los gatos
--------------retorna
*
uma vívida lembrança
de seus gemidos
salobros
--------------retorna
*
com aquela topografia de noite frescal
morna, úmida & cheirosa
*
--------------pra cair

---------------------em mantos
--------------------------------de bruma
--------------
na relva noturna de meus pelos ?
*
*
*

6 comentários:

d'Angelo disse...

De quantos universos se fazem seus versos, meu caro Chico? Aqui tudo serve de mote, tudo se traduz inspiração.

Kátia disse...

{de Holanda}... muitos odores... muitas noites, amanhecer...

Alice disse...

Perfeito !!


beijos de saudades pra vc

Graça Pires disse...

"quando a lua vai a pino" são mais nítidas todas as lembranças...
Um abraço.

Hercília Fernandes disse...

Assis de Mello,

você me faz imensamente feliz!
Que alegria única fazer parte de sua seleta lista de indicação para o prêmio "Dardos", muitíssimo obrigada amigo!

Quanto ao poema, simplesmente belo! Mais uma das muitas coisas preciosas do Chico!

Forte abraço,

Hercília.

Sr do Vale disse...

Da coral reluzente em lua a pino
Ao instante envolvente de um menino.

Abraços meu caro Chico.