sexta-feira, 26 de junho de 2009

*
*
*
*
*
*
No Útero das Sombras
*
( Ao poeta Gérard de Nerval )
*
*
Imenso lodaçal
é o que nutria a vara de porcos que invadia o silêncio

a horda que rasgava a necessária quietação
nas noites enfartadas de larvas
*
*
Nas dobras do mato-memória
em horas urdidas com fios de danação
surgia sempre uma jovem bugra meio pálida
dançando como
-------------------------verbi gratia,
uma feiticeira abatida
ou uma ninfa esquálida de tez aperolada

: daí a urgência do silêncio
: a urgência de absorver a brisa fresca da miragem
- único viço na treva hirsuta
*
*
Foi do centro do axioma
que desafiei todas as regras
duvidei de qualquer doutrina
-------------------------pois
de todos os lados vinham os porcos e sua gritaria
vinham os porcos e sua bandalheira em corja
*
*

Mesmo a Nephila
- a aranha de pernas em rosa dos ventos
sobre uma teia de zinabre -
não mais era que uma casca fustigada e entorpecida

E mesmo a hera que subia
pelas coxas
não mais era que monera.
*
*
A diminuta haste fragilizada da Drosera
e as gavinhas da escandente
-------------------------Nepenthes
queimaram-se na frieza do calor ausente
junto com elas: a bugra.
E eu

*
*
*
P.S.- Sei que o correto seria escrever "E mim", no final. É que hoje preciso transgredir alguma regra...

20 comentários:

nina rizzi disse...

adoro bichos, daí o veguismo. porcos então, vixe!

alguém uam vez me disse que os melhores poemas se fazem pelo final. tá feito aqui :)

bom demais, chico :)
beijo.

Batom e poesias disse...

Por falta de uma palavra que traduza melhor o que quero dizer, inventei um adjetivo para este teu poema: Faunoflorobiobelo!

Lindo Chico!
bjs
Rossana

Adriana Godoy disse...

Chico, é incrível como você consegue conjugar a natureza (com seus nomes muito especiais) com a arte da poesia. Que encanto, um primor que encanta os olhos e a alma. Essa simbiose perfeita é que faz de você um dos poetas mais originais e habilidosos com muito feeling e veia poética. No Útero das Sombras é uma construção preciosa. Parabéns por saber usar tão bem o seu talento. Beijo.

célia musilli disse...

Chico, gostei demais de ver seu poema publicado na Diversos Afins, aquele é um dos mais lindos...Há alguns meses vc pediu que eu te enviasse meu livro, vou cumprir a promessa agora.. Por favor envie seu endereço para celiamusilli@terra.com.br e eu vou mandar o Sensível Desafio de presente pra vc...Um bj!

f@ disse...

Sempre Sublime....

imenso beijinho

Kátia Torres disse...

Chico, não gostei da parte "E mesmo a hera que subia pelas coxas não mais era que monera." Abalou!

No entanto, a qualidade do poema é indiscutível.

Ainda bem que você nâo concorre àquele prêmio, levaria o primeiro lugar.

Abraços.

Katita.

Márcia(clarinha) disse...

enquanto poesia traduzir técnica sem ser genérica, gosto.

lindo dia
beijos

Barone disse...

Muito bom Chico!

L. Rafael Nolli disse...

Chico, vim para dizer que li você no Diversos. Um poema memorável! Muito bom mesmo.

L. Rafael Nolli disse...

Chico, vim para dizer que li você no Diversos. Um poema memorável! Muito bom mesmo.

Edmir Carvalho Bezerra disse...

Caro poeta!

Imensamente grato estou por conhecer sua poesia. Devo dizer que não havia ainda ouvido falar de você, encontrei-o nas minhas procuras diárias na internet.
Sinta-se por favor convidado mesmo para fazer parte do Ver-O-Poema, acho que você vai gostar.
Aguardo um contato seu.

Ansiosamente,

Edmir Carvalho Bezerra
www.veropoema.net
Belém - Pará

Bianca Feijó disse...

Chico que perfeito!

Tanto a concatenação das palavras, quanto a disposição que colocaste.

Vc até meu deu uma ideia para o post da semana que vem...rs.

B.E.I.J.O meu!

Patrícia Lara disse...

Olá Assis!

Estive ausente por um tempo da net, mas voltando agora.

Não poderia deixar de visitá-lo, pois sua poesia me encanta. Parabéns pela inspiração! As fotos, também, são lindas!

Um abraço,
Patrícia Lara

Márcia Sanchez Luz disse...

Assis, seu blog está lindo, como sempre!!
Deixei um presente pra você lá em O Imaginário.
Basta seguir as instruções e fazer como eu fiz.

Beijos, com saudades

Márcia

Adriana disse...

Todos os momentos do poema são intensos, chamas da natureza.como sempre, brilhou.

f@ disse...

Olá Chico,
espero 1 dia que os passos dos animais sejam exemplo, a seguir pelo ser humano…
as 4 patinhas e as asas…
as babatanas s a l gadas…


essa brisa das folhas no ®osto dos bichos…
a vida esgotada dos nossos pés im perfeitos espezinha demais a cauda dos dias…


Magní f i c o poema e imagem do roxo que es © o l h o na sombra grá v i d a da lua….

!menso abraço e beijinho

Sr do Vale disse...

Eu, feito borboleta empanturrada de nectar, deixei-me ao vento, até encontrar um cheiro conhecido, e aconchegante, e visões além das visões.

Meu velho Chico, que beleza.

susannah disse...

Passei por aqui para conhecer o seu blog. Muito legal, suas fotos são muito lindas! A poesia já conhecia, muito fina no seu traço imagético.
Bjs!

susannah disse...

Essas suas fotografias têm a ver como processo de fotogenia?

Marcia Barbieri disse...

"de todos os lados vinham os porcos e sua gritaria
vinham os porcos e sua bandalheira em corja"
sempre genial, seus poemas são uma viagem biológica.

beijos