domingo, 10 de fevereiro de 2008

DISTÂNCIAS

*
*
*
*
*
Uma Fábula Patagã


Revi teus olhos
e o vasto caminho das manadas

Recordei tua mão em riste
presenciei o vulto da viscacha na noite de Três Cerros
e os fósseis abissais a escamar da cordilheira
pra forrarem o fundo da estepe

..................................................que precede
..................................................o cabo
..................................................do desengano
*
Havia barcos no estreito e uma lua no céu
; Calafate dormia feito um cão na praça fria

Ouvi o regougo dos zorrillos
e o eco das aves que piaram de dia
Maldisse o vento

Ao vislumbrar Ushuaya, onde estavas
desafiei todas as rajadas
que poderiam marejar teus olhos

O amanhecer só trouxe uma amplidão
..................................................um silêncio
..................................................e uma ausência
..................................................de chão

*
*

2 comentários:

vall duarte disse...

Chico, Chico, Chico...


Sem palavras. Na verdade são desnecessárias.

Melhor olhar , ler e calar...

Salusa disse...

Seu blog é um encanto, parabéns!
O bom da vida é a oportunidade de descobrir novas estradas pra percorrer.

Abraço!

PS: Sucessos sempreeeeeeeeeeeeeeee!