quinta-feira, 28 de maio de 2009

SINFONIAS

*
*
*
*
*
*
Concerto para Vespas e Calangos
*
( ParaVictor Barone
Bea “Compulsão Diária”
& Marcos Pontes )
*
*

Seria ali
na crosta dura que restou
da erosão do sedimento
*
naquele claro
entre a borda do torrão e a rama suja
onde, decerto, haverá vespas
escondidas
nos xerófitos espinhentos
*
e uma fêmea primal e semi-ereta
desgarrou-se do bando
com seu infante de olhar medroso
pra se resumirem a fragmentos
de epífises, de arcadas
de fêmures
e de ílios
*
*
Lá no áspero daquele pequeno palco improvisado
-----------------que afronta a crista do Ngorongoro
, é ali que eu poria
um maestro afetado a reger
com sua batuta de fíbula
uma orquestra de surdos
-----------------cujo spalla é uma ruiva de ouro
-----------------bipolar e anoréxica
*
*
De resto:
*
escaravelhos
rolando o mundo
Borodin na savana
e o ocaso sangrado
por leões
*
*

14 comentários:

nina rizzi disse...

ai zizuis, que mais geotudosgráfica :)

eu amo ler tuas coisas...

Adriana Godoy disse...

Assis, esses poemas seus me encantam, sobretudo pela harmonia perfeita entre biologia e poesia. Que imagens magníficas nos proporcionam. É como se estivesse nessas paisagens e fosse uma voyeur desses encantos. Belíssimas suas sinfonias, você é um maestro batuta. Barone e Bea merecem tal homenagem. Beijo.

BAR DO BARDO disse...

Para furtar a Adriana Godoy, sempre acima de mim, eu também sou voyeur de suas inflorescências estéticas, Chico.

Parabéns!

- Henrique Pimenta

Adriana disse...

Minha Xará Adriana disse tudo, eu completo? sua erudição me encanta.Escolhes as palavras certas, e olha que elas são difíceis.bj

Marcia Barbieri disse...

"escaravelhos
rolando o mundo
Borodin na savana
e o ocaso sangrado
por leões"
admiro imensamente seu trabalho com as palavras e qto aoocaso sangrado por leões,adoraria ter escrito eu mesma. Espero encontrá-lo no Simpoesia.

beijos ternos

A Gata por um Fio disse...

instigante descrição dessa valsa de instintos...

grande poeta!

beijo da Gata

daufen bach. disse...

Eu fico lendo e visualizando. Que coisa mais...sei lá qeue mais é. Só sei que é perfeito e encanta.

O título é perfeito. Um quadro belíssimo.

(tu já leu Manoel de Barros?)

abraço meu caro!

Batom e poesias disse...

É a orquestra biológica regida pela mãe de todos os maestros: a natureza, e transcrita num poema orgânico e belo.

Parabéns
Rossana

Luiz Alberto Machado disse...

Tudo muito bom por aqui, meu amigo. Indicarei nas minhas páginas, aguarde.
Abração
www.luizalbertomachado.com.br

f@ disse...

Olá Xico,

esse ocaso rubro e o teu poema sublime....

imenso beijinho

Circe Araújo disse...

Adorei o blog e as poesias!!!

:)

Barone disse...

"é ali que eu poria
um maestro afetado a reger
com sua batuta de fíbula
uma orquestra de surdos"

Grande Chico.

Benny Franklin disse...

Irretocavel - belo!

Marcelo Novaes disse...

Assis,



Tudo tão bem disposto [e sedimentado] que cheguei a ver o maestro.






Abração,









Marcelo.