terça-feira, 18 de agosto de 2009

FLUXOS

*
*
*
*
*
*
Retorno
*
( Para Susanna Busato
Valéria Tarelho
& Sidnei Olívio )
*
*
Mais
que mera escuridão
houvera de ser a noite
*
*

É encargo da lua
refletir-se
nos teus olhos
*
*
[ Dias de retorno
à casa
*
onde estive jamais falará por si
*
guardarão as horas
seus segredos
bem guardados ]
*
*

Minha função de peixe
é saciar-me
no itinerário de tuas águas
*
*
E então te direi de uma saudade
que nada, nada
amenizou
*
*
A teu fogo, novamente
minha carne
faminta
*
*


7 comentários:

sidnei olívio disse...

Belíssimo poema, Chico. Bom lê-lo novamente nessa praia. Abraço.

Nydia Bonetti disse...

Sempre uma beleza teus poemas, Assis. Abraço.

valéria tarelho disse...

Chico, que beleza! Gostei da dança das estrofes, acompanhando o fluxo/refluxo da maré interior.

Beijo!

Adriana Godoy disse...

Chico, umae explosão de poesia.

"É encargo da lua
refletir-se
nos teus olhos"

Que beleza, me senti como um peixe no meio dessa maré de paixão. Eta, Chico, quando você escreve é um maremoto de qualiddade, de emoção, de poesia, numa harmonia invejável. Bonito demais. beijo.

susannah disse...

Lindas imagens, Chico! A marca de uma saudade buscando suas formas naturais.
Bjs!
Susanna.

Chico de Assis disse...

Lindo poema, meu xará.
Poesia cheia de musicalidade e belas imagens.
Palmas!
Abração

Marcelo Novaes disse...

Assis,


A lua está encarregada
de belo feito. E o peixe
nada [e nada e nada], ao
Infinito.




Abração,







Marcelo.